face_FocaNoDesvio_Parte1

X-Wing Jogo de Miniaturas: Introdução ao jogo, parte 1 de 2

Saudações pilotos recrutas!

A partir de hoje o Holoblog possuirá uma nova coluna: a Foca no Desvio, voltada para a discussão do excelente jogo de mesa Star Wars: X-Wing – Jogo de Miniaturas lançado em janeiro pela Galápagos Jogos.

Holo 8, o seal pilot do Holoblog!
Holo 8, o seal pilot do Holoblog!

Eu, o Holo 8, o oitavo passageiro do Holoblog, irei lhes auxiliar compartilhando meu conhecimento e experiência sobre este incrível jogo tático que está e continuará “bombando” pelo país e pelo mundo!

E tenham certeza leitores que, com o lançamento dessa nova leva de filmes de Star Wars, a coisa vai explodir e poderá tomar proporções épicas!

Esta é a primeira de duas postagens que farei tentando explicar de maneira bem simples como o jogo funciona, espero que gostem!

Star Wars: X-Wing – Jogo de Miniaturas ou simplesmente X-Wing, é  um jogo tático de naves espaciais cuja ideia central é simular os chamados “dogfight“. Foi lançado em 2012 pela Fantasy Flight Games, mas apenas em janeiro de 2015 é que a versão em português chegou ao Brasil pela Galápagos Jogos.

Para eliminar qualquer dúvida sobre o que é este incrível jogo de mesa, assista a este vídeo:

 

É isso mesmo! Uma espécie de xadrez moderno, sem o quadriculado, com peças que vão e voltam e tentando eliminar as peças do adversário. Um detalhe interessante é que cada nave é restrita a um certo conjunto de movimentos específicos, o que torna a “semelhança” com xadrez mais notável.

Mas as semelhanças terminam por ai. Afinal, xadrez é um jogo puramente estratégico e com fator sorte praticamente nulo, coisa que não ocorre em X-Wing já que ele utiliza dados.

Se você já jogou Final Fantasy Tactics, X-Com, Shadowrun Returns/Dragonfall, Ogre Tactics, Disgaea ou qualquer outro jogo de tática famoso para PC ou consoles, X-Wing COM CERTEZA vai ser do seu completo agrado. Se por algum acaso você também for fã de Star Wars pode ter certeza que investir seu dinheiro nesse jogo é algo que você terá que lutar para evitar!

Se você é um completo leigo e não entendeu bulhufas sobre os games que citei acima, aqui vai outra tentativa: X-Wing – Jogo de Miniaturas é basicamente um xadrez cujas peças são naves da série Star Wars. Porém a movimentação das peças é muito mais ampla e os objetivos do jogo variam dependendo de como você vai joga-lo diferente do xadrez cujo único objetivo é dar o xeque-mate (que, convenhamos, nem sempre é uma tarefa fácil).

Além disso, o jogo utiliza dados para resolver os conflitos, portanto se você detesta contar com a sorte em rolagens de dados não recomendo este jogo.

 

O JOGO

Número de Jogadores

X-Wing é um jogo competitivo para duas ou mais pessoas onde cada um dos jogadores monta o seu esquadrão, também chamado de lista de naves, obedecendo a certas regras.

O jogo é focado no combate um contra um. Porém, devido a sua versatilidade, ele pode ser jogado em formatos dois contra dois, três contra três e até mesmo cada um por si, numa espécie de “Jogos Vorazes” onde o vencedor será aquele que sobreviver.

Além disso, o jogo também possui duas formas de ser jogado:

Combate direto (dogfight): O objetivo dos jogadores é destruir todas as naves do time oponente. Se a partida for cronometrada, vence o time que tiver destruído maior quantidade de naves inimigas.

Missões: O(s) jogadore(s) recebem uma ou mais missões e devem cumpri-las para vencerem o time oponente. Este modo de jogo é interessante, pois os objetivos dos times tendem a ser diferentes gerando certa assimetria na forma de jogar.

 

Jogo Base e as Waves

Para jogar X-Wing é OBRIGATÓRIO possuir pelo menos uma cópia do Jogo Base, pois ele vem com todos os acessórios necessários para se jogar. Sem ele você só conseguirá jogar se pegar o material emprestado do seu amiguinho.

Além do jogo base existem também as expansões do jogo que vem em “temporadas”, geralmente semestrais, chamadas de Waves. Em geral cada Wave traz quatro naves inéditas para o jogo e várias cartas novas.

Mas nem só das Waves vive o jogo. Existem também expansões avulsas (sim a Fantasy Flight Games quer o seu rim) que introduzem naves gigantes ou dão um “up” em naves já existentes. Ambas acrescentam ainda mais cartas ao jogo, dando a ele uma imensa gama de possibilidades estratégicas além de novas missões.

Dai você entente que "other rim" não é a toa... / Na imagem: comerciante tw'ilek negocia com piloto humano. No balão diz:  Ok, estou aqui com as expansões que você encomendou. Agora só preciso do número do cartão, a sua assinatura e seu rim esquerdo...
Dai você entente que “other rim” não é a toa…

 

Área do Jogo

A vantagem do X-Wing  é que ele pode ser jogado em praticamente qualquer mesa que você possua na sua casa. Mas é claro que se for uma mesa muito estreita naves maiores podem ter desvantagem quando se moverem, aliás, se uma nave sair da área de jogo, mesmo que parcialmente, ela é considerada destruída. Por isso o tamanho sugerido para os esquadrões com 100 pontos é de 90 x 90 cm que são as dimensões oficiais do jogo para campeonatos.

Muitos jogadores imprimem banners (lonas) com belas galáxias ou criam tabuleiros dobráveis em madeira (MDF) para poderem jogar com as dimensões oficiais. Mas você não é obrigado a usar ou comprar nada disso, porém se quiser jogar competitivamente é muito útil treinar em um local com as dimensões oficiais para ir se familiarizando com o espaço disponível.

 

Montando seu esquadrão

Para montar um esquadrão em X-Wing primeiro é necessário definir com quantos pontos ele será feito. É possível jogar com esquadrões de 24, 30, 50 ou até mesmo 1600 pontos. Uma vez definida a pontuação do esquadrão cada jogador escolhe com quais naves quer voar.

É interessante notar que o custo em pontos das naves não é definido somente pelo seu modelo, mas também pelo seu piloto. Aliás, existem dois tipos de pilotos, os genéricos e os “únicos” que no caso são os nossos queridos personagens da saga.

x-wing-cartas

É óbvio que voar com pilotos experientes como Han Solo ou Darth Vader sai mais caro do que voar com dois Pilotos Recrutas, por isso os jogadores devem escolher com sabedoria o que irão usar em seu esquadrão.

Se o jogador não estiver contente em ter apenas Chewbacca e Luke Skywalker em seu time ele ainda tem a opção de deixar suas naves mais letais colocando diversas melhorias (upgrades) nela. Cada melhoria tem seu próprio custo que deve ser somado ao valor dos pilotos. A soma total de pontos melhorias+pilotos deve ser menor ou igual que a quantidade de pontos por esquadrão definida no início do jogo (o padrão é 100 pontos).

 

Facções

Antes de começar o jogo cada um dos jogadores deve escolher uma das facções disponíveis (Aliança Rebelde ou Império Galáctico) e construir um esquadrão com uma pontuação escolhida pelos jogadores previamente. Em geral as partidas são feitas com 100 pontos e com cada jogador escolhendo facções distintas.

Em campeonatos é comum ocorrerem partidas com Rebeldes contra Rebeldes ou Império contra Império. O jogo é equilibrado e permite que esse tipo de conflito ocorra sem maiores transtornos.

"Talvez aqueles TIEs não sejam REALMENTE do Império..." / Na imagem: TIE Fighter com pintura personalizada da Rebelde Sabine
“Talvez aqueles TIEs não sejam REALMENTE do Império…”

Com relação às facções, acredito que elas dispensem apresentações. De um lado temos o Império Galáctico com Darth Vader e seus aliados usando seus ágeis, porém delicados caças da série Tie. Do outro temos Han Solo, Luke Skywalker e seus amigos rebeldes, usando as poderosas X-Wing, Millenium Falcon, A-Wing, B-Wing, entre outras. Apesar de o jogo ser equilibrado para ambas as facções, a forma como elas jogam é bem distinta.

As naves imperiais tendem a possuir mais mobilidade, tornando fácil para o jogador conseguir sair do alcance do fogo inimigo. Além disso, elas são baratas em termos de pontuação, permitindo que até oito naves estejam no campo de batalha e consigam vencer o oponente em número. Elas compensam essas vantagens com o fato de, geralmente, não possuírem escudos.

As naves rebeldes, por outro lado, não possuem tanta mobilidade e são mais caras em termos de pontos, mas podem concentrar seus tiros poderosos no inimigo e ainda por cima contam com escudos para sua proteção.

Em certo aspecto é mais fácil voar com as naves rebeldes do que com as imperiais e isso faz com que o jogador iniciante ache que o jogo é desbalanceado para o lado rebelde. A prova máxima de que isso é um engano é o fato de que o esquadrão imperial com oito (ou sete) Tie Fighters ainda é considerado um dos mais fortes do jogo.

Bem, por enquanto é isto que tenho para falar sobre o jogo. Na próxima postagem eu tentarei explicar como funciona o jogo em si, os combates e quais são as dificuldades que o jogador pode encontrar pelo caminho. E deixem sugestões nos comentários para posts futuros!

Até mais recrutas e que a Força esteja com vocês!

  • Leonardo Mello

    O jogo é muito divertido com muitas possibilidades. Além disso as minis são muito bem feitas e com um acabamento impecável (apesar de serem bem pequenas). Falar do tamanho pode parecer uma crítica, mas na verdade elas tem o tamanho perfeito para se manter a jogabilidade (ainda não testei as enormes). Boa sorte com na nova seção e que a força esteja com vocês.

    • Sonho de consumo: poder comprar mais réplicas para fazer diferentes pinturas de naves.

      • Leonardo Mello

        Certamente irei fazer alguns experimentos com pintura, mas só depois de ter uma coleção legal.

      • Antunes Rocha

        Quero fazer isso também!

        • Tô quase pegando um dos meus Tie Fighters pra fazer o Tie Taxi da Sabine.

          • Antunes Rocha

            Invejoso…

    • Antunes Rocha

      No início também achei pequenas, mas depois vi que era isso mesmo. Já as grandes, estou testando umas missões antes de levar pra Liga, mas também estão muito legais. Esperando pelo Imperial Raider.

      • Lembrando que todas as naves são em escala, o que meio que “obrigou” a criação do jogo Armada.

      • Leonardo Mello

        Então, ja “dei umas voltas” com a Slave-1 e to esperando chegar minha Falcon, mas percebi que as naves grandes tem uma enorme vantagem de velocidade e a desvantagem de ter uma área maior para mirar… Mas por enquanto a X-wing ainda é minha predileta entre mobilidade e robustês.

        • Não seria o contrário a relação entre velocidade e mira?

          • Leonardo Mello

            Na verdade não, por ter uma base maior ela é muito mais rápida e é muito mais fácil mirar nela.

          • Eu tenho o YT-1300. Ele é muito melhor de mirar, o que não vejo porque seria uma desvantagem.

            Mas é uma charanga pra pra se movimentar.

          • Leonardo Mello

            Não reclamo dela mirar, mas de como é fácil mirar nela – hehe – Elas até são mais complicadas para manobrar, mas elas se deslocam bem mais do que as pequenas.

        • Antunes Rocha

          Eita, tava falando das naves Large e não Huge.

          As naves maiores tem baixa esquiva, mas a Falcon tem seus segredinhos para melhorar isso e em compensação elas tem shield e hull maiores, além das habilidades de bater e causar dano ou medo.

  • Antunes Rocha

    Poxa, belíssimo post! Quando chegarem no Empório Fantástico eu vou mandar esse link para explicar. Esperando pela parte 2.

    Ah! Phantom é a melhor nave da Galáxia… Até a chegada da Wave 6.

    • Legal Antunes! Espero que a continuação saia em breve. Suas cobranças já foram entregues ao Holo 8 🙂

      Mas depois corrige ai o teu comentário. Onde você diz “Phantom”, acredito que você quis dizer “X-Wing”. Erro comum, relaxa!

      • Antunes Rocha

        HAHAHAH! É o tie-phantom mesmo. XD Pode vir!

        • Leandro Zanella

          A Phantom é bem legal, mas ainda preciso me habituar com ela, ando muito ruim jogando de Império.
          No momento a E-Wing pilotada pelo Corran Horn é minha favorita absoluta no jogo 🙂

  • Leandro Zanella

    Muito legal ver um espaço dedicado ao X-Wing Miniatures Game aqui no Holoblog!
    Um assunto/abordagem que seria legal ver tem a ver com as diferentes formas de se movimentar de forma eficiente cada build de esquadrão. Já vi posts em outros locais focados em descrever isso verbalmente, mas muito raramente colocam imagens ilustrando o uso. Para quem está começando ou experimentando diferentes builds (particularmente como imperial, que é menos óbvio) seria bem útil!

    • Toda sugestão é bem-vinda!

      Pretendo fazer o possível para ilustrar os posts do Holo 8 para melhorar a visualização. Só não estou muito certo sobre essa história de ajudar com o Império 😉