saga50_destaques

Holocast 50: Inimigo Meu

Saga50_640x480_Deck

DM Rafael, Diego Bessa, Metalgeisha e Beto Chopper se reúnem para falar sobre o papel dos rivais, antagonistas e lacaios em aventuras de Star Wars. Descubra conosco como não despedaçar seus jogadores, como brincar com seus sentimentos, mas acima de todo, como praticar desapego!

[00:00] Apresentação
[02:52] Papo de Cantina: Audible, Humble Audiobook Bundle e leitura de comentários
[24:25] Tipos de vilões: lacaios, rivais e chefes
[37:50] Construindo seus vilões
[54:41] Gerando respeito
[65:15] Equilibrando o poder
[75:00] Considerações finais

Recomendações:
www.audibletrial.com/terceiraterra
Humble Audiobook Bunble de Star Wars
RPG com Nozes: Space Dragon – Star Wars
Acesse o Jedicenter
Acesse o Universo Star Wars

Fale conosco!
Acesse a Terceira Terra
holocast@terceiraterra.com
@holocastsw
Facebook do Holocast

Dúvidas de Star Wars:
http://ask.fm/holocast

Todos os efeitos sonoros de Star Wars foram feitos a partir do Star Wars Soundboard e com colaboração do Universo Star Wars.

Nossa trilha sonora é cortesia de Marcos Kleine.

Dê uma olhada nestes ótimos produtos disponíveis na Amazon brasileira!

  • Quero agradecer a lembrança e homenagem do Beto (o droid favorito de 5 em cada 5 holocasters) e do Mestre Bessa (o fenômeno das builds).

    Vocês são lindos!

    • Você é quem faz falta Barão. Você é o nosso Chiquinho Scarpa!

  • Lucas Filipe

    Os inimigos são peças fundamentais em qualquer história. Eles podem se apresentar de várias formas: Crime Lord, Sith, Bounty Hunter e por ai vai. Até mesmo a natureza pode ser um grande inimigo do grupo.

    No caso de inimigos sencientes, acredito que eles devem ser carismáticos. Um dos maiores trunfos de SW é que todo mundo gosta do Darth Vader e do Palpatine igual ou algumas das vezes mais do que os heróis.

    Como sempre mais um Holocast excelente!

    • E ainda há aqueles que preferem Hutts! Vai entender…

  • Rafael Saldanha

    Salve! Um conceito de vilão que eu gosto é aquele que esteve ali o tempo todo. Na última crônica q narrei, os personagens começaram prestando serviços de investigação para um senador Twi´lek (um dos pjs era um nobre sobrinho desse senador) no distante sistema de Socorro. Porém, tudo que eles descobriam do corrupto governador de Socorro e levavam para o Senado acabava sendo abafado. Os “terroristas” de Socorro se mostravam cada vez mais… Vítimas! Até o momento que eles rompem, se juntam à CIS (minha obsessão lol) e passam a ser perseguidos pelo senador! E aí o ódio dos jogadores já é pessoal…

    Um abraço e continuem com o bom trabalho

  • Vicente Pinto

    Fala galera! Tudo beleza?

    Neste fim de semana eu finalmente comecei minha campanha de Star Wars, usando 3D&T (SIM), e já comecei a utilizar algumas ideias inspiradas no podcast. Já que a campanha se passa nas Clone Wars, e os jogadores começaram na invasão de Cerea, vou colocar primeiramente alguns inimigos que vão acabar assassinando o presidente do planeta, e dar a chance dos jogadores impedirem isto. Talvez até coloque o General Grievous ou o Lord Tyranus como maiores vilões 😉

    Valeu pelas dicas galera, vou seguir ouvindo e utilizando algumas ideias para minhas próximas aventuras 😀

  • Fala, galera! Finalmente comecei a preparar minha campanha de FdI… Agora vai! Aproveitei pra ouvir os episódios sobre o sistema da FFG e… Precisamos de mais! Espero que, quando a poeira de Rebels baixar, vocês voltem para o crunch!
    Estou com umas dúvidas sobre o uso de lacaios. Ao se fazer um grupo com, por exemplo, 3 lacaios, eles terão 2 níveis em perícias, certo? Considerando que os lacaios tem 3 de Agilidade e apenas um nível foi usado em Combate à Distância (Leve), ao atacar com uma pistola ele teria um dado de proficiência e dois de habilidade? E o grupo faria um único ataque por turno, com esses dados? Se um dos integrantes do grupo morrer, os dois restantes continuam atacando com esses dados? E se restar apenas um, a mesma coisa?
    E se um dos integrantes do grupo de lacaios for engajado?
    Seria legal ouvir como vocês estão usando essa mecânica na mesa. Já tentaram fazer um esquema tipo a 4e? O uso de lacaios tem sido uma boa solução nas aventuras?
    Ufa! Por enquanto é isso. Vocês são Ph*das! Abraços!

    • Lacaios agem de duas formas: ou como indivíduos separados cada um com uma ação ou em grupo como uma única ação.

      As perícias de um lacaio servem apenas para dizer quais perícias eles podem se beneficiar de uso em grupo. Um grupo de lacaios sem Combate a Distância – Leve não ganharia upgrades com tiros de pistola mesmo se houvessem 10 lacaios no grupo.

      O upgrade é feito a partir do segundo. Então se três lacaios estão num grupo, a perícia testada (levando em conta que seja uma perícia treinada) terá dois upgrades.

      A medida que eles vão caindo, o upgrade máximo também vai baixando.

      • Esse upgrade me confunde… Qualquer perícia tem o teste aprimorado? Achei que era preciso distribuir os níveis nas perícias. Então, um grupo com 4 lacaios que tem 2 de agilidade fazem a rolagem com 3 dados aprimorados? E se, no próximo turno eles resolverem atacar de outra forma, com outra perícia, o ataque também terá 3 dados aprimorados?

        • Vamos lá…

          Lacaios não ganham graduações em perícias treinadas. A diferença entre uma perícia qualquer e uma treinada para um Lacaio é que eles só podem fazer upgrade quando estão em grupo nas perícias treinadas.

          No seu exemplo: 4 lacaios com agilidade 2 e Combate a Distância – Pesado se atacarem como um grupo farão um único ataque com 2 dados amarelos e 1 dado verde (dois dados com três upgrades).

          Se o mesmo grupo ataque com Artilharia (uma perícia não treinada) ele utilizariam apenas 2 dados verdes de agilidade. Talvez nesse caso seria melhor separar eles para agirem individualmente.