Category Archives: Fronteira da Estante

Adaptações de personagens de livros, romances e HQs para o RPG Fronteira do Império.

Fronteira da Estante: Thrawn

Beto Chopper, Metalgeisha e Marcelo Skywalker dão um golpe no Holocast e derrubam as forças rebeldes em um engenhoso plano para discutir sobre o livro Thrawn!

Recomendações:
Ganhe um audiolivro de graça e 30 dias para testar o Audible
Acesse o Jedicenter

Fale conosco!
Acesse a Terceira Terra
Acesse o Holotumbler
holocast@terceiraterra.com
@holocastsw
Facebook do Holocast
YouTube do Holocast

Dúvidas de Star Wars:
http://ask.fm/holocast

Todos os efeitos sonoros de Star Wars foram feitos a partir do Star Wars Soundboard.

Dê uma olhada nestes ótimos produtos disponíveis na Amazon brasileira!

Fronteira da Estante: Ciena e Thane

Casal-Estrelas

Olá habitantes da fronteira!

Finalmente retorno para nossa série do Fronteira da Estante, mas agora com novidades!

Mais do que uma série de adaptações para RPG, o Fronteira da Estante cresceu e se tornou uma série de podcasts dentro do Holocast onde vamos comentar sobre os livros publicados no Brasil, a exemplo do que fizemos com os livros Um Novo Amanhecer e Kenobi no Espada e Planeta.

E para começar, escolhemos nossa novelona preferida, o Estrelas Perdidas e seus protagonistas Ciena e Thane!

Amor nas alturas

Ciena e Thane cresceram juntos no mundo de Jelucan, ambos sonhando e entrar na academia imperial para deixar o planeta e se tornarem pilotos, mas com motivações divergentes.

Apesar de dividirem a paixão pela pilotagem, Thane queria fugir de um lar de abusos e violência, enquanto Ciena queria honrar sua família e ter a chance de viver sua vida e de sua irmã gêmea, que morreu pouco após nascer.

Para refletir suas diferenças, usei a mecânica das Obrigações. Os altos valores refletem o quanto eles são importantes na vida dos personagens e o quanto costumam interferir em suas histórias.

Clique para ampliar.
Clique para ampliar.

Para Ciena, sua família é uma obrigação de amor e dedicação, podendo representar tanto a necessidade de ir ao seu auxílio de seus pais, quanto sua ligação com sua irmã gêmea morta pela qual tem a obrigação de viver também por ela (que se torna também sua motivação).

Além disso, mais do que um símbolo de honra, a obrigação de senso de dever é algo que a ancora no Império, mesmo tendo presenciado barbaridades. Por fim, “Estrelas Perdidas” é uma obrigação especial e compartilhada com Thane que representa seu amor e comprometimento, muitas vezes a colocando em situações arriscadas.

Clique para ampliar.
Clique para ampliar.

Já para Thane, seu obrigação de família representa seu ressentimento pelos pais e irmão e o quanto as violências que sofreu ainda podem balançar com seu psicológico, mesmo estando do outro lado da galáxia.

E isso gerou sua motivação de cinismo, que não o permite acreditar plenamente em nenhuma organização, Império ou Rebelião, independente de sua afiliação. Thane apenas confia em quem conhece.

Parceiros de voo

Pilotar em um cânion: tem forma mais roots de aprender manobras?
Pilotar em um cânion: tem forma mais roots de aprender manobras?

Thane e Ciena cresceram treinando junto suas habilidades de pilotagem, e quando estão juntos eles pilotam como um.

Para refletir isso, fiz uso da mecânica de auxílio em testes de perícias. Quando um é o copiloto do outro, eles usam seus maiores valores entre agilidade e pilotar.

Ciena tem 4 graduações em pilotar, mas Thane (que sempre foi melhor artilheiro) possui agilidade 4. Juntos, eles podem usar 4 dados amarelos em testes pilotagem!

Além disso, as habilidades de liderança de Ciena podem auxiliar Thane para mirar com mais facilidade ao ganhar uma manobra extra.

Separados eles são ótimo. Juntos, são imbatíveis!

Fronteira da Estante: Conde Vidian


Olá habitantes da fronteira!

Forget the old ways! Foi com esse mote que tive o primeiro contato com o Conde Vidian, o detestável vilão do livro A New Dawn (ou Um Novo Amanhecer, como publicado aqui pela editora Aleph) que trago no Fronteira da Estante de hoje!

A frase motivacional deste personagem é perfeita para ilustrar o processo de criação de antagonistas no Fronteira do Império.

Ao esquecer o modelo antigo, nos desapegamos do conceito que NPCs seguem as mesmas regras de heróis em sua montagem.

A liberdade de criar novas habilidades me parece ser uma das grandes vantagens deste processo, que possibilita utilizar aspectos do próprio personagem para nomear-las.

Sem falar que torna o build bem mais divertido!

Expert em reestruturação empresarial

Conde Vidian é um ciborgue com centenas de dispositivos eletrônicos ao seu favor aliado a capacidades físicas sobre-humanas.

Seu corpo metálico foi montado para pudesse extrair o máximo de eficiência em seu trabalho e sua meta é ganhar mais e mais prestígio dentro do Império.

Vidian é o perfeito exemplo de criatura que surge na Nova Ordem, que acredita que assassinato gerencial é uma ação motivacional eficiente. Mas em seu âmago, ele ainda é um burocrata especialista em produtividade e fanático por gerenciamento, controle e ordem.

Apesar de suas capacidades impressionantes, ele é um homem inseguro que tenta compensar suas limitações físicas e sociais com recursos e aprimoramentos. E ainda que conte com um poderoso corpo cibernético, seu maior ponto fraco ainda é seu ego, que o faz acreditar que seus melhoramentos o deixam acima de qualquer em – e de qualquer ameaça.

fronteira-da-estante_CondeVidian

Fronteira da Estante: A’Yark

Olá habitantes da fronteira!

Os últimos dois anos tem sido ótimos anos para Star Wars, especialmente no Brasil. Além da expectativa de novos filmes, tivemos uma nova série animada, a tradução de jogos e até mesmo de séries de livros trazidos pela Editora Aleph.

Inclusive, já participei de dois episódios do Espada & Planeta, o podcast de clube do livro da Terceira Terra, comentando o “A New Dawn” (lançamento em português em julho de 2015) e o “Kenobi” (publicado em maio de 2015). Se já leu os livros ou se quiser saber mais sobre deles, não deixe de conferir essas gravações!

Animado pela nova safra de livros, decidi criar uma nova coluna aqui onde adaptarei personagens icônicos das publicações para o RPG Fronteira do Império.

E para a estreia, trago um dos personagens mais interessante apresentados em Kenobi: A’Yark ou Olho de Rolha, segundo o povo do Pika Oásis.

Olho de Rolha

fronteira-da-estante_plug-eyeDurante a leitura de Kenobi, percebemos como o massacre de Anakin na tribo dos tuskens teve um impacto forte naquela sociedade. Toda uma geração de guerreiros foi morta, e com eles, muita de sua tradição de combate e comportamento.

A queda da maior e mais forte das tribos tusken abalou profundamente a moral do povo da areia. Para mudar esse quadro, A’Yark decidiu levantar o ânimo de seu povo através de feitos de combate e guerra, liderando-os contra os fazendeiros de umidade.

Aterrorizando os habitantes do Pika Oásis, A’Yark ganhou a alcunha de “Olho de Rolha” por usar um cristal no lugar de um dos olhos perdido em combate anos antes. E os fazendeiros tinham bons motivos para temer A’Yark, que não apenas é formidável em combate, mas é capaz também de preparar emboscadas e estudar seus alvos.

Líder Tusken

A’Yark representa o papel do guerreiro que se vê numa posição de liderança. Suas habilidades vão desde combate, técnicas de patrulha, sobrevivência e até liderança, apesar de não ser esse último seu foco.

Você pode usar o build de A’Yark propriamente ou como um exemplo de líder tusken ou até mesmo de outro povo primitivo.

fronteira-da-estante_yark1